Skardu Paquistão

Skardu, localizada na confluência dos rios Shigar e Indus, será um local mais adequado para passar do que para ficar. É o ponto de partida para um dos percursos de trekking mais populares do mundo e isso diz muita coisa. Tem o ambiente de uma base, com preços mais elevados do que no resto do país e relativamente poucos atractivos na própria localidade.

A Viagem

A primeira etapa desta jornada consistirá no regresso a Gilgit. Dependendo das horas a que sair e da sua sorte poderá ou não conseguir atingir Skardu no mesmo dia. A opção será, claro, passar uma noite em Gilgit.

De Gilgit há carrinhas a partir para Skardu, tipicamente de manhã, por volta das 9:00. A distância a percorrer é de menos de 200 km, mas mesmo assim é viagem para durar seis a oito horas e custar 500 PKR.

A ver e fazer em Skardu

Forte Kharpocho

Skardu tem um forte, cujo nome significa “Rei dos Fortes”. Foi construído por Ali Sher Khan Anchan, que governou sobre toda esta região no século XVI e a sua posição foi magistralmente escolhida, dominando dali Skradu e as suas imediações. Hoje não tem já uma função militar, mas os visitantes beneficiarão da localização para apreciar as vistas e ter uma perspectiva global da cidade.

Forte Shigar

Este outro forte está posicionado junto ao trilho que conduz ao K2. Foi construído há cerca de quatrocentos anos e é também conhecido como Fong Khar, ou seja, “Palácio nas Rochas”. O seu interior foi renovado e pode ser visitado, existindo uma casa de hóspedes naquilo que há quatro séculos atrás eram os aposentos do Rajá de Shigar. Existe também no local um museu dedicado à cultura Balti.

Deosai e Lagos de Montanha

Este é um programa para um dia inteiro e para ele necessitará de ter ao seu dispor uma viatura de todo o terreno. O caminho até Deosai leva cerca de três horas e uma vez lá chegado poderá relaxar junto ao lago Schesoar.  No regresso tente visitar mais um dos lagos existentes na região, o Shangrilla, o Satpara ou o Kachura.